Caos da BA-161, no trecho que liga Sítio do Mato à BR-242 em Muquém do São Francisco, ganha apelo Nacional

As informação repassadas à redação do Gamela News indicam que a degradação da BA-161 é uma marca cruel na história do município de Sítio do Mato, a 800 km da Capital do Estado da Bahia, Salvador, e de parte do município de Muquém do São Francisco. É provável que o povo sitiomatense tenha sofrido 10 anos da sua história com a deterioração da condição social e de incalculáveis prejuízos econômicos nesse período.

Construída ainda na década de 1990, parte da BA-161 [Carinhanha à Barra] que corta o município de Sítio do Mato interliga a BR-349 [Brasília-Bom Jesus da Lapa] em Bom Jesus da Lapa à BR-242 [Salvador-Barreiras] no município de Muquém do São Francisco.

As informações apontadas mostram que a rodovia já necessitava de reparos já em 2006, porém nada foi feito. Daí, começou o trauma de um povo já esquecido pelo poder público, a rodovia começou a ficar intransitável a partir do ano de 2008. Além das comunidades, distritos e cidades, os municípios de Sítio do Mato e Muquém possuem inúmeras Fazendas produtivas e dezenas de Assentamento de Reforma Agrária e de Quilombo que dependem expressivamente da rodovia.

A rodovia estadual nos municípios de Sítio do Mato e Muquém foi dividida em três trechos:

Trecho I: liga a BR-349 à cidade de Sítio do Mato.

Trecho II: liga Cidade de Sítio do Mato ao Distrito de Gameleira da Lapa.

– Trecho III: liga Distrito de Gameleira da Lapa à BR-242, em Muquém do São Francisco.


Diante desse quadro de caos nos três trechos citados, tendo a rodovia sido interditada em alguns períodos de chuva, dois deles já foram recuperados pelo governo estadual em anos distintos, somente 7 anos depois.

Em 2013 foi entregue a população o Trecho I, totalmente recuperado. Três anos mais tarde, em 2016, o Trecho II foi finalizado, atenuando a situação crítica da infraestrutura, principalmente na área do município de Sítio do Mato.

Segundo informações passadas a nossa equipe, as reconstruções desses trechos se devem em grande parte da boa e incisiva articulação de um “filho de Sítio do Mato” que trabalhava no governo na época, que alertava o possível caos social, caso estas obras não saíssem do papel.

E de fato, a inquietação do técnico estava certa. O município de Sítio do Mato em 2011, com base no Censo de 2010, foi classificado como município com a maior parcela da sua população na extrema pobreza (acesse aqui página 35) no Estado da Bahia. Óbvio, que parte significativa dessa classificação era em função das condições da estrada, principal entrave no município.

O que se produzia, não se transportava. Ir a escola não trazia aprendizado, devido ao cansaço do trajeto. Deslocar para ir ao médico agravava ainda mais as enfermidades, de acordo com relatos de moradores das comunidades afetadas. Em resumo, um caos na vida dos sitiomantes e parte dos moradores de Muquém do São Francisco.

Diante dessa situação, o Projeto Brasil Que Eu Quero, da Rede Globo, divulgou, em 1º de junho de 2018, o vídeo do jovem Marcus Vinicius mostrando a degradação da rodovia e pedindo as autoridades alguma solução. Nossa página publicou a reportagem, e o vídeo teve mais 2,5 mil visualizações.

E no dia 28 de outubro, segundo turno da eleições presidenciais, um grupo de moradores da Zona Rural do município de Sítio do Mato estavam se deslocando para votar no Distrito de Gameleira da Lapa. A viagem foi interrompida na altura da comunidade de Mangal II, pois o ônibus que levava os eleitores ficou preso nos buracos da rodovia, deslizando e correndo risco de cair nas ribanceiras, situação agravada devido as chuvas que caíram do domingo de eleição.
O vídeo enviado para a redação foi publicado na página da rede social na segunda-feira (29 de outubro) e o número de interações passa de 42 mil visualizações, alcançando mais de 90 mil internautas em várias partes do território nacional.

As primeiras informações sobre a reconstrução do Trecho III, repassadas por uma fonte é de que a  Secretaria de Infraestrutura do Estado (SEINFRA) tem prevista uma intervenção agora no mês de dezembro, o que ainda não agrada os moradores dos dois municípios afetados, devido ao tão esperado e necessário período de chuvas na região. Cabe a dúvida se essa intervenção seria um “tapa buraco” ou a definitiva recuperação da rodovia.

Related Post

Você concorda? Comente! Seu ponto de vista é importante.