Infestação de besouros afeta população ribeirinha na Bahia

Os relatos sobre a presença de grande que quantidade besouros que vem atingindo diversas cidades na Bahia têm deixado a população apreensiva, com os transtornos e desconforto. Estas acontecimentos ocorrem durante a transição de estações climáticas.

Inúmeros situações foram registradas em Bom Jesus da Lapa, Ibotirama, Paratinga, Sítio do Mato e outros municípios na Bacia do Rio São Francisco.

Alguns especialistas explicam que este é um fenômeno natural, podendo ser excedido em casos de desequilíbrio da natureza. É mais incômodo do que perigo, a presença dos insetos.

Os profissionais da área argumentam que estes insetos “passaram boa parte do ano em forma de larva e atingiram a fase adulta no fim da estação da seca e início do período chuvoso.” Dessa forma, os adultos saem para se reproduzir e são atraídos pelas luzes das cidades.

Em alguns interiores esta situação são mais intensas pelo fato das zonas urbanas estarem mais próximos da zonas rurais. Isto porque, “as áreas de matas, plantações e pastagens dispõe de maior oferta de alimentos e locais para os besouros depositarem seus ovos.” Ou seja, é um ciclo que se repete ano a ano, em maior ou menor intensidade. Por isso, o caminho de volta dos insetos ocorrerá naturalmente nos próximos dias.

Quando a quantidade de besouros está excessiva é sinal que está ocorrendo desequilíbrio ambiental, no qual os predadores naturais na cadeia biológica dos insetos esta menor, isto é, deficiente. É uma mensagem da natureza para melhorar a preservação do meio ambiente.

Na tentativa de amenizar a situação, “é proibido a dedetização em áreas urbanas” ou aglomerados. Diante disso é preciso tomar algumas precauções para conviver melhor com os besouros.

Para dificultar a entrada deles em casa, a dica é manter poucas luzes acesas e fechar as janelas no fim da tarde, geralmente entre 18 e 20 horas, pois é nesse horário que eles são mais ativos.

Related Post

Você concorda? Comente! Seu ponto de vista é importante.