Municípios de Barra e Sítio do Mato são destaques em estudo sobre gestão educacional

Um estudo elaborado pela startup ,sem fins lucrativos, Instituto de Inteligência em Gestão e Sustentabilidade (I3GS) mostra que a Bahia tem em 97% de seus municípios uma gestão ineficiente no ensino fundamental.

Com base nos dados de investimento por aluno, número de docentes e de servidores, foram avaliados do ensino fundamental a retenção escolar, taxa de aprovação e índice de proficiência, derivado das notas médias dos anos iniciais e finais.

A ideia é mensurar os resultados a partir dos recursos disponíveis comparando com os demais municípios em termos de eficiência.

O Atlas da Eficiência da Educação de 2018 (base 2017) analisou 412 dos 417 municípios baianos e constatou, com base em sua metodologia, que na educação fundamental 186 (45%) deles têm ineficiência moderada; 188 (46%) apresentam ineficiência crítica; e 24 (6%), ineficiência extrema na rede de ensino. Apenas 14 municípios possui nota máxima na qualidade da gestão do ensino fundamental.
Os municípios ribeirinhos de Barra e Sítio do Mato obtiveram certificação máxima dos pesquisadores. Além dos municípios referenciados, estão no seleto grupo os municípios de Canavieiras, Candiba, Crisópolis, Ibitiara, Itagibá, Itapicuru, Itiúba, Macajuba, Olindina, Piripá, Santanópolis e Urandi.Estes municípios são automaticamente certificado com Selo IEfi 10.010 e registrado no Atlas da Eficiência da instituição. Os certificados também serão encaminhados às respectivas prefeituras.

Os municípios de Bom Jesus da Lapa, Paratinga e Serra do Ramalho foram classificados dentro dos critérios utilizados pelo estudo como gestão da educação no ensino fundamental com ineficiência moderada. Já Muquém do São Francisco, Ibotirama e Serra Dourada têm uma gestão relativamente mais deficiente, cuja classificação foi de ineficiência crítica.

Related Post

Você concorda? Comente! Seu ponto de vista é importante.