Rejeitos do acidente em Brumadinho podem não atingir Rio São Francisco

O grave acidente ambiental ocorrido na sexta-feira, 25 de janeiro, no município de Brumadinho, Estado de Minas Gerais, deixou um grande rastro de destruição com expressivo número de vítimas, feridos e desalojados, em razão do rompimento da barragem de rejeitos minerário da empresa multinacional Vale S/A.

O deslocamento da lama de resíduos atingiu o Rio Paraopeba e já percorreu vários quilômetros em direção a Usina de Retiro Baixo. O material altera a coloração da água, no qual a captação de água para atender as cidades estão sendo suspensa, além de prejudicar todo ecossistema.

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), existe a expectativa que “o rejeito fique retido no reservatório desta usina (Retiro de Baixo), não alcançando o reservatório da Hidrelétrica de Três Marias”, no Rio São Francisco. Inicialmente, tinha-se a previsão que o material chegaria em Três Marias entre 15 a 20 de fevereiro, o que agora começa a perder força com esta nova informação do órgão.

A mineradora Vale S/A também apresentou em sua medidas a instalação de membranas para a retirada de sedimentos no rio Paraopeba, principalmente em locais próximos a captação de água, além de estar planejando uma barreira de contenção desses resíduos em outros trechos do rio.

A notícia deve deixar menos tensa a população da Região, principalmente aquela dos municípios que depende predominantemente das águas do Velho Chico para abastecimento de água nas zonas urbanas e rurais.

Porém, os cuidados ainda devem continuar com acompanhamento e monitoramento pelas equipes dos órgãos ambientais, realizando testes e checagem efetiva das condições da água.

Você concorda? Comente! Seu ponto de vista é importante.